Millennials

É praxe de gestores e profissionais de gerações anteriores criticarem o desinteresse ou alienação, características negativas, da geração mais nova de profissionais.

Há, claro, qualidades muito salutares nos jovens e os profissionais veteranos que naturalmente compartilham de visão de mundo semelhantes possuem ótimo diferencial competitivo para crescer profissionalmente e atingir grandes metas.

Confira 3 atributos que permeiam o dia-a-dia dos mais jovens, verdadeiros hábitos fundamentais dessa geração, reflita e você verá o quanto podem mudar suas perspectivas.

Qual ponte quero criar?

Os anos 80 já nos mostraram que os colaboradores não são meros resolvedores de problemas. Não somos robôs que cumprem limitadas tarefas, repetitivas, sempre desagradáveis. Como o que você faz na empresa altera a realidade ao redor? Sem um sentido maior, um objetivo nobre, os jovens profissionais não conseguem se motivar por muito tempo. Ter um esforço descomunal apenas para alguém ganhar dinheiro? Sem chance. Fazer parte de algo maior, que traz um benefício real a pessoas reais, de forma contundente? Aí sim, estão dentro e farão o que for necessário para atingir as metas, que serão consideradas metas pessoais.

Não tenho medo de errar.

Algo extraordinário pertence a uma geração que já nasceu com hábito de jogar todo tipo de games no celular, no tablet, no PC e até numa página de erro do Google: os millennials naturalmente experimentam quantas vezes forem necessárias para formar ou não uma conexão com o objeto em foco. Se erram, já sabem que terão mais chances e que isso é perfeitamente normal nos processos. Nas formas de administração rápidas de projeto, as etapas de lição aprendidas são normais e não se dá muito destaque a elas. O foco é o acerto, o ponto forte criado com o aprendizado e talvez o erro tenha sido fundamental para que se reconheça-os.

Os cenários podem ser desfavoráveis, mas mesmo assim quero arriscar.

Já pontuamos aqui novos paradigmas para o empreendedor e vale lembrar das palavras do CEO de uma empresa de consultoria empresarial, em evento do SEBRAE há poucos meses: quanto pior o cenário econômico, quanto mais incertezas, mais temos ideias criativas, mais o mercado se mostra tenaz e produtivo. A fé na qualidade das ideias, no potencial a se atingir é algo extraordinário que deve-se aprender com esta nova geração, que defende com unhas e dentes algo que acreditam poder mudar o mundo. Ao invés de proteger com patentes e surpreender o mundo com um novo produto ou serviço, o novo paradigma pede que se divulgue a nova ideia ao máximo para que os futuros parceiros sejam atraídos. Aqueles que reconhecerem e tomarem pra si a nova possibilidade de negócio, naturalmente se envolverão, sendo peças fundamentais para a concretização dos projetos.

Já tivemos grandes empresas, produtos que criaram novos mercados, que surgiram assim, na contramão do seu tempo e sempre tivemos uma liderança que compartilha e que caminha baseada na experiência, sem medo de errar.

Aprender a aprender

Será tão difícil ganhar estas asas que os jovens já tem naturalmente? Reflita e veja como você provavelmente é cheio de ideias que poderiam mudar a dinâmica da empresa e criar novas frentes de receitas! Esta é a melhor forma de crescer profissionalmente: com desafios que muitas vezes foi você que proporcionou!

Vamos conversar sobre suas ideias? Mãos à obra!